sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Nessa manhã, nenhuma flor brotou.


Ela sempre seria sua Flor, era o que ele costuma dizer enquanto regava o seu jardim. Ela foi florindo a cada dia e ele foi paralelamente a isso, modelando seu jardim como se todas as estações fossem apenas para fortalecer aquele sentimento e para fazer da flor, a mais bela. Mas as estações foram passando e o outono por fim, chegou. E junto a ele veio o silêncio e algumas palavras secas. Ela falou que algo mudou, a flor como toda fina flor não dura pra sempre e pra ela o fim era concedido... Algo mudou! O que teria mudado? Poderia ser o amor, às vezes modificamos os sentimentos sem deixar de existir. Mudaram os tempos, o tempo passou entre eles e hoje resistiam em ponteiros opostos e era tempo de mudar. Quiçá não precisaria de esclarecimentos. As explicações nem sempre concertam os fins. Alguma coisa mudou. E esta se tornou sua única argumentação. “... E uma rosa nunca mais desabrochou e eu não quero mais ver você.” Ele olhava fundo em meus olhos e me falava que doía, doía muito e achava que não estava pronto pra isso, ele não estava! Que ela transtornara tudo em sua vida quando entrou nela. E mais uma vez modificara tudo, mas dessa vez, quando partiu. Ele se encontrava só, e se houvesse outras, nenhuma teria o sorriso dela e nenhuma flor seria como ela. Entre uma ilusão ali e um relacionamento causal, acreditar em amor hoje em dia incluiria acreditar acima de tudo, na inocência de um sentimento que vai além de companheirismo e da necessidade de se sentir amado. Nunca entendemos os fins, porque nessas horas o inicio parece ser tão presente? O que resta? Será que ela se sentiu longe do mundo dele? Será que ele deveria ter sido mais perfeito do que foi? “O Sol está sempre lá, todos os dias, Ele sempre está presente em qualquer das situações e de repente Ele não ta mais lá. Quando menos esperamos, Ele não está mais lá e foi isso que aconteceu... Mayara era meu Sol.”

2 comentários:

  1. acho que deu vontade de chorar'
    *-*

    ResponderExcluir
  2. Clarinha muito obrigado por isso,
    estamos bem agora
    eu nao desistir e o sol voltou a brilhar
    ele apenas havia se escondido nas nuvens escuras que passaram e levaram com ela todo desespero,medo e dor.
    obrigado por tudo
    hj Eu posso te dizer q sou novamente Feliz pois meu jardim esta completo novamente e o sol ilumina ele resplandecendo sua beleza e deixando os dias mais coloridos e belos.
    o amor pode renascer de um final assim como uma flor ao muchar pode renascer de sua semente. Obriga Clara eu nao vou me eskecer desse texto nunka e muito menos do conforto q vc me causou nakela noite de desespero e melancolia. Obrigado do fundo do meu coraçao!

    ResponderExcluir