sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Aproveitei o contratempo.

Sem jeito, ele pedia apenas que ela economizasse nos detalhes. Ela ria com uma pureza tão constante. Aproveito-me desse momento para escrever querido leitor! Tão apaixonados... Foram então os primeiros dos inquietos sentimentos da juventude. Entre acusações infantis e promotorias publicas, era uma estória de amor! Ela me contava os detalhes do momento importuno em que ele assumiu a vontade de tê-la! Cabisbaixo, com um sorriso de lado, concordava entre algumas linhas, discordava com algumas vergonhas. Perdoe leitor, aproveitei-me do instante! É raro amores assim. Nunca tive um, inclusive! Voltando ao constrangimento de amar pela primeira vez... Foi uma atuação impecável até a mocinha concretizar o sentimento. Ele meio que perdido, flutuava entre as nuvens e se embebedava de vontades. Aproveite-me leitor para transformar um romance em conto de ficção! Mas desde mão garanto, não é tão fácil imaginar estórias como essas numa noite de quinta-feira, uma e meia da madrugada!

2 comentários:

  1. Essa estória me parece tão familiar... =D
    É linda, né?!
    Eu também acho!!!!!!!!

    =]

    ResponderExcluir