quinta-feira, 28 de abril de 2016

Impossíveis causas da poesia!


Eu não sei como funcionam suas mãos quando escrevem poesias em mim. E nem das poesias que descrevem as suas mãos em mim. Pouco sei desse silêncio que encara o indescritível. Das possíveis impossibilidades que somos. Porque não somos. E sobre isso, ninguém nunca escreveu!  

Nenhum comentário:

Postar um comentário