terça-feira, 4 de agosto de 2009

A História de um Boletim

* Octávio Caúmo Serrano

Hoje eu vou contar a história
Do primeiro boletim
Que a professora do Grupo
Entregou-me e disse assim:
-leve ao teu pai, para assiná-lo,
E depois traga pra mim.

Esse era o primeiro mês
Das minhas notas na escola.
Como apenas sete anos,
Menino de boa cachola,
Eu gostava de estudar
E só depois jogar bola.

Logo que cheguei em casa
Dei ao pai o documento
E então pude observar,
Com meu olhar sempre atento,
Que ao assinar nem sabia
Como pegar no instrumento.

Ele nunca usou um lápis
E nem mesmo uma caneta.
Percebi que para ele
A situação ficou preta
Pois a caneta pesava muito mais que uma marreta.

Tentou escrever “Otávio”
Quase furando o papel, que até sentia em sua boca
Um gosto amargo de fel...
-Porque, meu Deus, o meu filho
Não tem um pai bacharel?!

Depois de passar um tempo,
Ele conseguiu em fim,
“assinar” o tal papel
E então entregá-lo a mim,
Dizendo: -É a última vez
Que assino o seu boletim.

-O estudo é pra você;
Você não estuda pra mim;
Se você for mal na escola,
Poderá sofrer no fim.
Portanto, é a você que cabe
Cuidar do seu boletim.

-se quiser mostrar-me as notas
Eu vou gostar de sabe...
Não é obrigado a fazer,
Pois o importante é que saiba
Sempre cuidar de você.

A partir daquele dia,
Como responsabilidade, eu honrei o nome dele,
Demonstrei maturidade,
Pois sempre fiz minha parte
Com toda dignidade.

São quase sessenta e oito
Anos que isto aconteceu
E já vão cinquenta e dois
Anos que meu pai morreu,
Mas inda esta viva em mim
A lição que ele me deu!

2 comentários:

  1. Oi Clara,

    quanto tempo...

    ainda guardo as correspondencias (com carinho)

    ResponderExcluir
  2. se lembra? http://pics.livejournal.com/bebadosolitario/pic/000036c3/s320x240
    http://pics.livejournal.com/bebadosolitario/pic/00002zsh/s320x240
    http://pics.livejournal.com/bebadosolitario/pic/00001c55/s320x240

    ResponderExcluir